– Considerações sobre queixas escolares. Entrevista com Beatriz De Paula Souza.

No vídeo abaixo, a psicóloga Beatriz de Paula Souza, que é coordenadora do Serviço de Orientação à Queixa Escolar do Instituto de Psicologia da USP, discute alguns temas relacionados às queixas escolares, mais especificamente ligados à dislexia e ao transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

Elencamos alguns dos pontos principais da entrevista, que problematizou o encaminhamento da escola à especialista e o lugar da doença no contexto escolar:

– O excesso de encaminhamento pode ser entendido como um pedido de socorro, um sintoma institucional. bagunça

– Individualização de problemas sociais, institucionais e comunitários.

– Visão biológica, as alterações são tomadas por doenças localizadas no corpo.

– O mito do diagnóstico, muitas vezes buscado para aliviar tensões da família e da escola.

– Pouca compreensão e implicação do processo ensino aprendizagem.

– Professores com dificuldades para ver o potencial das crianças.

– Olhar patologizante, que exclui e estigmatiza a criança diagnosticada
.

– O fomento da indústria farmacêutica ao diagnóstico.

– Os pais e a escola devem compreender o que o comportamento pode estar comunicando; o que está acontecendo com a criança?

 

Deixe uma resposta