– León Ferrari no museu de arte contemporânea em São Paulo.

A arte inspira a clínica, pois é uma expressão da subjetividade. A clínica como a concebemos não é simplesmente uma técnica estanque. Buscamos amparo em diversos saberes, como a psicanálise, as teorias psicológicas, sociais e filosóficas. Assim como as ciências, as artes também fazem parte das referências que nos apoiamos para a realização do trabalho clínico. Desta forma, segue um breve relato acerca de um artista bastante inspirador.

foto-1León Ferrari nasceu em Buenos Aires, em 03/08/1920. Morreu recentemente, em 25/07/2013, aos 92 anos. Em 1976, fugindo da ditadura na Argentina, radicou-se na cidade de São Paulo. Segundo o jornal The New York Times foi um dos cinco artistas plásticos mais provocadores e importantes do sec XX. Sua obra tem como tema central as diversas formas de intolerância, guerras, religiões e a massificação da cultura.

Foi inaugurada  no MAC em São Paulo, antigo prédio do DETRAN , no último dia 28 de setembro a exposição ” León Ferrari – Lembranças de Meu Pai ” que conta com  57 obras do artista argentino feitas entre 1976 e 1984, período em que residia em São Paulo.

É dele a obra de fundo da página do facebook do conexões clínicas.

A exposição mostra um artista bastante impactante, que pensa sobre as questões humanas quase como um cronista. Sua obra foi bastante influenciada pela vida urbana e, apesar das obras datarem dos anos 70 e 80, o conteúdo de sua crítica permanece fresco nos dias atuais.

foto 2
Léon Ferrari trabalha com a contradição para provocar o espectador. Em uma série de quadros apresenta elementos de diferentes religiões e culturas na mesma cena, como no quadro ao lado.  Há um questionamento sobre as diferentes perspectivas entre o que é profano e sagrado. Outro exemplo é uma xilogravura bastante detalhada de um avião de guerra moderno em que o piloto é a imagem de um santo barroco com uma lança na mão. Nos faz pensar sobre a proximidade entre todas as grandes guerras, ou seja, as lutas por territórios, crenças e religião. Também retrata com ironia o desenvolvimento tecnológico da civilização, as massas e os carros andando em inércia sem chegar a lugar algum.

Convidamos o leitor para visitar o novo MAC. Além de Léon Ferrari há outras exposições interessantes ocorrendo atualmente. Dentre elas destacamos “Fronteiras Incertas:  arte e fotografia no acervo da usp”. Por último, não deixe de visitar o terraço do oitavo andar para uma vista impressionante do parque Ibirapuera e redondezas.

Bruno Mangolini, Bruno Espósito e Tomás Bonomi

Deixe uma resposta