Prefiro levar choques a ficar comigo mesmo!

Recentemente uma pesquisa norteamericana publicada no jornal O Globo reacendeu o debate a respeito da dificuldade em ficar sozinho nos tempos atuais. No estudo, homens e mulheres eram colocados em uma sala sozinhos por quinze minutos. Nessa sala eles tinham a opção de se infringir choques ou simplesmente suportar o tempo passar com seus próprios pensamentos.

O resultado impressionou os pesquisadores: um número considerável dos participantes optou por receber os choques ao invés de ficar apenas com suas elucubrações.

Discute-se muito hoje em dia o papel das novas tecnologias como um elemento que permitiria às pessoas evitar a solidão. Além de choques e tecnologias, as pessoas utilizam-se de diversas ações e objetos para evitar um contato mais próximo consigo mesmas. Os artifícios da humanidade para evitar a angústia da autorreflexão são diversificados, ganhando formas concretas em casos como o abuso de drogas e os transtornos alimentares.

O psicanalista Tomás Bonomi concedeu entrevista ao Jornal da Cultura em matéria que abordou o tema.

 

Fonte da pesquisa: http://oglobo.globo.com/sociedade/saude/sem-tempo-para-solidao-1322998

Tomás Bonomi, Bruno Espósito, Bruno Mangolini

 

 

 

 


Leia Mais

  • All
  • Psicanálise e clínica contemporânea
  • Filosofia e cultura
  • Parceiros e convidados
  • Psicopatologia e Pesquisa
A cura do amor?
“Causos clínicos”: quando a lei encontra o tratamento na saúde mental.
“Memórias de um Doente dos Nervos”
Psicanálise e Política. Entrevista com Christian Dunker.

Comentários

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Se inscreva para nossa Newsletter!

Nós enviamos as novas publicações do Conexões direto para sua caixa de email.