Relatos de uma iniciante na prática do Acompanhamento Terapêutico

por Roberta Veloso de Matos* No primeiro encontro com Marlene, como iniciante na prática do AT[1] (Acompanhamento Terapêutico), choro diante da sua fala da dificuldade de estar com sua família. Marlene traz junto de si, como diz Drummond, “ombros que suportam o mundo” junto a uma fragilidade que parecia que o vento daquela tarde fria […]